2 de janeiro de 2010

Distância



E então ele abriu os olhos
E apesar das sombras, ele viu
 As árvores belas de seu jardim
As mesmas, as de sua infância
Num outono dormente e frio

E ele apurou os ouvidos
E apesar da tempestade, ele ouviu
Os pássaros das suas manhãs
Mesmas melodias, as de sua infância
Numa aspereza e rouquidão, frio

E ele decidiu caminhar à noite
Só para brincar de ver estrelas
E as estrelas, as mesmas,
Debruçaram-se e mostraram seus rostos

E ele procurou instantaneamente
Só para brincar de matar saudade
A flor, a mesma, a única
E pairou, frio, no breu das estrelas

__________________________________________________

Escrito em 29/12/2009, distante do meu Jardim.

Ouvindo A Distance There Is, Theatre of Tragedy.