3 de setembro de 2010

Ukiyo-e

Quando se fala em desenho no Japão, com certeza o mangá seria a primeira coisa que viria a nossa mente. No entanto, existem gravuras retratando imagens de bravos samurais, cortesãs, atores e cenas de teatro kabuki (o teatro japonês), paisagens naturais, que estampam muitas camisetas, agendas e outros.
Estas imagens são gravuras Ukiyo-e, surgido há mais de 300 anos o estilo encanta por sua beleza, graciosidade, e principalmente, por retratar a história do país. O nome significa "figuras do mundo flutuante", uma expressão que nos remete a efemeridade, como se os temas retratados vagassem entre o tempo e o espaço. A palavra originada do vocabulário budista (sendo importada da China, por consequencia), expresssando uma visão idealizada da vida e do comportamento humano.
No Japão, o conceito passou a ser utilizado na literatura, principalmente na poesia, para mostrar que a vida no mundo nada mais é, que um sonho passageiro.
A beleza das figuras, fez do ukiyo-e uma arte cultuada no Japão, e também fora dele, influenciando até os impressionistas franceses.
O estilo é uma das várias formas de arte gráficas que surgiram no período Edo (1600 - 1868), quando a capital imperial do Japão foi transferida para região onde hoje está o centro de Tóquio. Edo era o centro cultural e econômico do país.
Os artistas que se dedicavam ao estilo retratavam o cotidiano da época: as belas mulheres de Yoshiwara (bairro de prostituição de Tóquio), o teatro kabuki, os lutadores de sumô, e as paisagens naturais em torno do monte Fuji. O ukiyo-e, podia ser comparado, em popularidade, ao mangá atualmente.
A partir do séc. 15, elas começaram a ser impressas em massa. O ukiyo-e possui pelo menos 3 fases importantes:
- A inicial que usava exclusivamente a tinta preta, seu maior expoente foi o artista Hishikawa Moronobu (1618 - 1694);
- A segunda em que os temas mais recorrentes eram as beldades japonesas e os atores do teatro kabuki;
- A terceira onde se retratavam mais frequentemente as paisagens.
Foi nesse terceiro período que a técnica se aperfeiçoou e ganhou maior riqueza no traço e equilíbrio na combinação das cores. A excução de uma obra ukiyo-e pode durar até um mês.
Alguns nomes conhecidos do ukiyo-e:
- Katsushika Hokusai (1760 - 1849) é o maior nome do ukiyo-e. Sua obra prima é AS TRINTAS E SEIS VISTAS DO MONTE FUJI. Aos 70 anos decidiu retrabalhar o tema e lançar o livro CEM VISTAS DO FUJI, considerado um trabalho ainda mais belo que o anterior. Hokusai estudou pintura ocidental por conta própria e aplicou várias técnicasd de luz e sombra, até então desconhecidas no Japão, para obter os efeitos de perspectiva que dão tridimensionalidade, característica de suas obras.



- Kitagawa Utamato (1753 - 1806) ficou conhecido por retratar a beleza do feminino, através da gueixas e prostitutas. O traço gracioso e habilidade na composição das cores fazem dele um mestre no estilo.
Utamaro foi para Edo jovem para aprender a técnica, sendo posteriormente descoberto. Das suas obras se destacam POEMAS DE AMOR, BELDADES POPULARES, DEZ QUALIDADES DE MULHER e DEZ TIPOS DE MULHER.



- Ando Hiroshige (1797 - 1858) executou uma viagem entre Edo e Kioto, ao longo da rota de Tokaido, que liga as duas cidades, e retratou cada uma das 53 estações de pernoite. O resultado foi publicado, em 1832, em uma série de 55 estampas chamada CINQUENTA E TRÊS ESTAÇÕES DE TOKAIDO. E juntamente com OS CEM LUGARES CÉLEBRES DE EDO, fizeram deste artista um dos mais populares do ukiyo-e.



- Toshusai Sharaku é outro importante mestre desta arte, não se sabe muito sobre ele, sua data de nascimento e morte nos são desconhecidas, mas pode-se intuir através de sua obra entre maio 1794 e fevereiro 1795. Ainda que tenha atuado em um período muito curto, ele publicou cerca de 150 desenhos. Sharaku retratou imagens do teatro kabuki, tornando-se rapidamente uma marca registrada de sua obra, fazendo sua fama também fora do Japão.



Fonte: revista Bons Fluídos, fev. de 2008. págs. 74-77.