2 de outubro de 2009

H. P. Lovecraft



Howard Phillips Lovecraft é o nome de um dos maiores mestres da literatura de horror de todos os tempos. Nasceu no dia 20 de agosto de 1890, em Providence, Rhode Island, nso EUA, morrendo prematuramente aos 47 anos, deixando 60 e poucos contos e novelas, sem grandes variações no estilo ou tema.

Viveu uma vida estranha, perdeu seu pai muito cedo e passou quase toda a vida com a mãe, casou-se com uma mulher bem mais velha, após a separação, cinco anos depois, morou com duas tias até a sua morte. Viveu em sua cidade natal por toda a vida, exceto por dois anos em Nova Iorque e algumas viagens.

Era uma pessoa introvertida, preferia contato por carta (sua correspondência chega a 100 mil cartas e foi publicada nos EUA em cinco volumes), adorava gatos. Foi muito produtivo durante a adolescência, mas destruiu e nada aproveitou daquilo que escrevera.

Lovecraft é conhecido como o mestre do Indizível, suas narrativas quase sempre iniciam com o narrador contando ao leitor a ocorrência de um fato tão grotesco e assustador que não pode ser revelado; mas, subitamente, como se instado pelo interlocutor, decide abrir mão do silêncio.
Mestre na arte da descrição, usa de adjetivos pesados e muitas vezes desnecessários, que nada atrapalham a narrativa, Lovecraft nos coloca um mundo de sonhos e criaturas saídas muitas vezes de seus próprios devaneios.

Sua imaginação só é limitada por seu modo de viver isoladamente e a época em que vivia (o que para um leitor atual pode causar mal-estar e xenofobia, que Lovecraft nutria por negros, orientais e todos aqueles que não possuiam uma descendência anglo-saxônica). Seus contos tinham origens em seus sonhos, além de idéias surgidas em trocas de cartas.
Não era à toa que era amigo de Robert E.Howard, autor do famoso Conan, O Bárbaro: ambos compartilhavam características parecidas, como a solidão e o desejo de superação de suas fraquezas humanas: o que este último conseguiu através da criação de um guerreiro forte e imbatível o outro conseguiu com a criação de monstruosidades que desafiam a nossa compreensão.

Lovecraft deixou um legado que influenciou a literatura, o cinema e a música.
Provavelmente a melhor adaptação visual de um conto de Lovecraft fique mesmo com Vento Frio, episódio da série de TV Galeria do Terror, em 1971.
Pois a força de Howard Phillips Lovecraft reside justamente nisso: a força de suas imagens; imagens que prendem o leitor por completo, expondo um terror que nem sempre depende de sangue e nojo, mas do pavor, dos medos ancestrais do homem, de tudo o que é inexplicável e indizível.

Obras:

Dagon,1917
A Tumba, 1917
Polaris, 1918
Beyond the Wall of Sleep, 1919
The Doom That Came to Sarnath, 1919
O Depoimento de Randolph Carter, 1919
The White Ship, 1919
Arthur Jermyn (The White Ape), 1920
The Cats of Uthar, 1920
Celephais, 1920
From Beyond, 1920
A Estampa da Casa Maldita, 1920
The Temple, 1920
Um Frágil Ancião, 1920
The Tree, 1920
The Moon-Bog, 1921
The Music of Erich Zann, 1921
The Nameless City, 1921
The Other Gods, 1921
The Outsider, 1921
The Quest of Iranon, 1921
Herbert West: Reanimator, 1921-1922
The Hound,1922
Hypnos, 1922
Aprisionados pelo Medo, 1923
O Festival, 1923
The Rats in the Walls, 1923
The Unnamable, 1923
Aprisionados com os Faraós, 1924
A Casa Abandonada, 1924
He, 1925
O Horror em Red Hook, 1925
In The Vault, 1925
O Chamado de Cthulhu, 1926
Vento Frio, 1926
Pickman´s Model, 1926
A Chave de Prata, 1926
A Estranha Casa Suspensa na Neblina, 1926
A Cor que caiu do Céu, 1927
O Caso de Charles Dexter Ward, 1927-1928
The Dunwich Horror, 1928
Um Sussuro nas Trevas, 1930
The Shadow over Innsmouth, 1931
Nas Montanhas da Loucura, 1931
Os Sonhos nas Casas das Bruxas, 1932
Através das Portas da Chave de Prata, 1932
The Thing on the Doorstep, 1933
Sombras Perdidas no Tempo, 1934
Nas Paredes de Eryx, 1935
The Haunter of The Dark, 1935
O Clérigo Diabólico, 1937

*Os títulos em português são as publicações realizadas no Brasil.


fonte: Visite!